Marketing Digital

Ferramentas para Marketing Digital

Ferramentas para Marketing Digital

Redes Sociais

Essa é a estratégia responsável por atrair grande parte dos profissionais para o mundo do marketing digital.

Afinal, as redes sociais são uma febre. Apenas no Brasil, são 93,2 milhões de pessoas conectadas a uma dessas plataformas, o que o classifica como país com o maior número de usuários da América Latina.

Elas são ferramentas poderosas para adquirir clientes. Porém, muitos empreendedores ainda acreditam que as redes sociais são um mero mostruário de produtos.

Você provavelmente já conheceu alguém que diz que esse trabalho pode ser feito pelo sobrinho, não é mesmo?

Mas as mídias sociais são coisa séria. Sua administração exige conhecimentos técnicos para adaptação ao público, definição de linguagem, frequência, conteúdo, análise de performance, entre outras habilidades.

Aqui tem uma lista das 11 mais usadas no País, mas a verdade é que saber em quais delas se posicionar exige conhecimento e pesquisa. Afinal, cada público tem maior afinidade por determinada plataforma.

Algumas das mais importantes, como você já deve saber, são:

Se quiser saber mais sobre cada uma delas, basta clicar nos links inseridos sobre os nomes.

Vale lembrar que o profissional de mídias sociais deve estar sempre atento, pois com a mudança dos hábitos e costumes do consumidor, suas preferências também se alteram.

Tanto que Snapchat e Foursquare, duas plataformas sociais extremamente utilizadas outrora, sofreram golpes duros e tiveram suas bases de usuários reduzidas significativamente.

Se você tiver interesse em se especializar nessa área, recomendamos que leia o nosso Guia Completo.

Profissões relacionadas: Analista de Social Media, Analista de SAC 2.0

 

Email Marketing

“Com a ascensão dos aplicativos, o email marketing vai morrer”.

Essa frase foi bastante ouvida nos debates sobre o futuro dessa estratégia há alguns anos. Mas, diferente de Élvis Presley (outra morte bastante discutida em outra época), ele sobreviveu.

E nem foi preciso usar um jutsu proibido do Naruto para mantê-lo vivo!

Hoje em dia, ele é utilizado por 92% dos adultos online, número que contraria uma série de previsões realizadas em meados dos anos 2000.

Não dá para negar que essa estratégia ainda tem seu lugar, principalmente para os objetivos de negócios.

As pessoas ainda checam suas caixas de mensagem diariamente. Mas, claro, esperam receber conteúdo relevante, e não apenas propagandas e ofertas.

Portanto, esse é um canal que deve ser utilizado com sabedoria. Além disso, assim como em qualquer estratégia de marketing digital, deve basear suas ações em métricas relevantes.

Existem, também, plataformas que auxiliam no disparo de mailing lists. Alguns bons exemplos são:

  • Mailchimp;
  • RD Station;
  • E-GOI;
  • LeadLovers;
  • MailJet;
  • HelloBar.

Aqui tem uma lista mais completa, caso você queira conhecer melhor cada uma delas.

Ah, e se você quiser saber alguns segredos sobre essa estratégia, nossa supervisora de marketing fez um artigo bem legal revelando o que aprendeu enviando mais de 6 milhões de e-mails.

Profissões relacionadas: Analista de Email Marketing

 

Links Patrocinados

Até aqui, todas as estratégias citadas podem ser executadas de maneira gratuita, ou seja, conquistam tráfego orgânico.

Apesar disso, todas elas podem ser subsidiadas, seja por plataformas pagas ou pelo que chamamos de links patrocinados.

No caso dos mecanismos de buscas, por exemplo, o maior expoente dessa plataforma é o Google Adwords, responsável pela maior fonte de renda da empresa criada por Larry Page e Sergey Brin.

Há uma nomenclatura diferente. Nos motores de busca, os resultados pagos são considerados estratégias de SEM (Searching Engine Marketing), e funcionam em um sistema de escolha de palavras-chave e leilão.

Você provavelmente já fez uma pesquisa no Google e observou que alguns resultados (geralmente os três primeiros) possuem um alerta de anúncio ao lado. Esses são os links patrocinados da Rede de Pesquisa.

Eles também estão presentes em sites, através da Rede de Display do Adwords. São parceiros do Google que recebem pagamento mediante aos cliques no conteúdo.

Mas eles também podem ser reparados em outros serviços. Redes sociais, motores de buscas, marketplaces e até mesmo anúncios nativos são considerados links patrocinados.

Algumas das plataformas mais conhecidas são:

  • Facebook Ads (incorporado ao Instagram);
  • Twitter Ads;
  • Bing Ads;
  • YouTube Ads;
  • Yahoo Advertising;
  • Mercado Livre;
  • Buscapé;
  • UOL links patrocinados.

Aqui, vale a pena citar também o remarketing, uma importante estratégia de mídia paga que baseia-se no comportamento do consumidor para otimizar as vendas.

Existe uma grande demanda por profissionais dessa estratégia no mercado. Ela exige um perfil extremamente analítico, já que tem como objetivo gerar o maior número de conversões utilizando a renda prevista.

Deixe o seu comentário


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *